A mediocridade é inimiga da transparência

A Web 2.0, ou seja, aquela em que, para além de ler, nos é permitido escrever, está a provocar uma mudança mental em todos nós que trabalhamos com o cérebro e não com os músculos e, mais ainda, está a expor os medíocres.

Não estamos a falar apenas de filantropia, de publicar para "fazer crescer o conhecimento universal", não, estamos a falar de transparência, ainda mais necessária quando são os fundos públicos que pagam o seu salário.

Parece que, em Espanha, a Administração está a fazer grandes mudanças nos seus procedimentos para se adaptar à era digital, com a ideia de evitar perdas de tempo e de tornar a Administração transparente, mas isto colide com as ideias de muitos gestores, mais identificados com o modelo de Don Vito Corleone em O Padrinho: Um siciliano pensa: "Se a informação pode valer dinheiro, por que razão hei-de dá-la de graça?. Acredito que a transição para o eGoverno se concretizará dentro de cinco anos, mas torná-la transparente poderá nunca ser alcançada se não formos capazes de eliminar este tipo de clichés.

Carlos Blanco acaba de escrever algo semelhante mas aplicado ao mundo dos negócios


Comentários

Deixar um comentário

O seu endereço de correio eletrónico não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Português