Porque é que havemos de ser (Hispânia) e não Espanha e Portugal?

1. porque se olharmos para o mapa, a forma da fronteira faz lembrar alguns países da África Central.

2. Porque onze milhões de portugueses e sessenta e seis milhões de espanhóis somam cinquenta e sete milhões de ibéricos, ou seja, um peso pesado a nível europeu e mundial.

3. Porque Espanha já integra quatro (e mais) línguas, pelo que mais uma - o português - não seria demasiado notória.

4. Porque as nossas culturas são muito semelhantes

5. Porque com uma Ibéria unida vem uma América do Sul unida, já que o Brasil se junta ao resto, quase nada.

6. Porque o potencial de crescimento está mais na América do Sul do que na Ásia, pelo menos para nós.

7. Porque a maioria dos portugueses compreende perfeitamente o espanhol.

8. Porque as nossas séries televisivas são êxitos em Portugal

9. Porque os portugueses vão a Badajoz comprar rebuçados e atravessam para Tuy para encher o depósito de combustível do carro

10. Porque o nacionalismo cura-se viajando, e quem viaja para Portugal sente-se em casa.


Comentários

20 comentários para "Porque é que havemos de ser (Hispânia) e não Espanha e Portugal?”

  1. Uma reflexão muito interessante, Javier, e estou totalmente de acordo consigo. Vivi vários verões tanto em Lisboa como numa pequena cidade perto do Porto e o salto cultural não é muito notório, especialmente se o compararmos com regiões como a Galiza. Além disso, uma Ibéria unida dar-nos-ia muito mais peso na Europa e alargaria as boas relações com mais países, uma vez que Portugal tem uma melhor relação histórica com o Reino Unido.

  2. [...] Porque é que havemos de ser Ibéria e não Espanha e Portugal? Por Javier Cuervo. [...]

  3. E o que é que os portugueses pensam deste plano e quais são os benefícios para eles?

  4. Penso que eles beneficiariam mais do que os espanhóis, mas tanto nós como eles teremos de ultrapassar muitos preconceitos. Agradeço-lhe o "plano", soa forte, mas é apenas uma reflexão, quem me dera que fosse um plano, mas isso aconteceu na Segunda República, houve um plano para invadir Portugal, e isso significou que Salazar ficou do lado de Franco na Guerra Civil, também aconteceu no século XVII através de um casamento real, mas só durou meio século. Talvez agora o melhor fosse um acordo e um referendo, mas eu não sou pessoa para dizer, estou apenas a pensar em voz alta.

  5. Penso que o benefício é mais para Espanha do que para Portugal, que veria ainda mais inflação, e além disso, é um país soberano, que sob nenhum preceito abdicaria do seu próprio governo e muito menos que a sua língua não fosse oficial no parlamento... talvez fazer um país federado? Em todo o caso, é sempre fixe ver como todos os espanhóis que viajam para Portugal gostam mais dos portugueses do que muitos espanhóis.

  6. Avatar das Ilhas Canárias
    Das Ilhas Canárias

    O nome deveria ser o nome romano HISPANIA, (Iberia foi desatualizado pela companhia aérea). Se juntarmos os países lusófonos e os países hispânicos (incluindo os EUA) ultrapassaríamos de longe o Comonwealt, seria a maior comunidade de nações do mundo.

    1. Não tinha pensado na comparação com Commonwelath, mas é de arrepiar os cabelos.

  7. [...] na semana passada, quando postulou em público uma Espanha unida a Portugal, uma Ibéria, Hispânia, ou como lhe queiramos chamar, à qual [...]

  8. Sonhar! O futuro da península a médio prazo depende da independência da Catalunha e de Euskadi. Em 2050, a Península Ibérica terá 5 Estados diferentes (Espanha, Portugal, Euskadi, Catalunha e Reino Unido) no âmbito da UE. Os factos apontam para isso e, se alguém duvida, basta olhar para o que se passa na Catalunha.

    1. Não se esqueçam que estamos numa época de vacas magras, que nos questionamos e até nos apercebemos das despesas supérfluas.

  9. Tal como Espanha está a celebrar a independência de França, Portugal está a celebrar a independência de Espanha. Se Portugal se junta a Espanha, porque é que a Espanha não se junta a França? Porque é que havemos de nos juntar se a União Europeia já existe? E as Nações Unidas? Se não há fronteiras para o capital financeiro, porque é que há fronteiras para o capital humano?
    Sou a favor da proposta, mas considero impossível a união de uma república e de um reino. A Espanha deve tornar-se uma república federal em que cada Estado federado é um membro voluntário.
    Muitas empresas transnacionais já consideram a península hispânica como um todo. Há muitos produtos de consumo cujas embalagens estão escritas em português e em espanhol, e não digo em castelhano, porque creio que em Espanha se falam muitas línguas e não apenas o espanhol.
    Acredito que ambos os Estados têm uma história comum e que as suas diferenças são mais políticas do que sociais. Acredito também que o nosso vizinho é o nosso grande desconhecido e que precisamos de intensificar as nossas relações culturais.

    1. Porque a França não está na Península. Porque a história de França é muito diferente da história de
      Espanha e Portugal. Não só porque estiveram unidos de 585 a 711, e de 1580 a 1640, mas também devido à nossa relação gémea com a América Latina, ou à reconquista comum contra a invasão muçulmana... ect. Porque o francês é muito diferente do espanhol, do catalão ou do português. ...ect, ect, ect, ect, ect. A união não se chamaria Espanha, mas Ibéria, ou o seu sinónimo Hispânia, ou União Ibérica ou Hispânica, do Reino de Espanha e da República de Portugal. O rei de Espanha é indiferente a esta união.

  10. Avatar de Benancio Holley
    Benancio Holley

    Sim, claro. E quem é que vais tirar? O Iniesta? Vá lá, pá...

  11. 1- Subjetivo!
    2- Sem qualquer interesse
    3- Portugal não é Espanha e, como tal, não nos interessa se Espanha tem 1 ou 200 línguas...
    4- Mentiras. Enquanto Espanha venera a cultura cigana, nós não temos nada a ver com ela.
    5- Mentira. Nem a América hispânica é unida, quanto mais a América do sul.
    6- Mentiras. A Ásia pesa quase 4 vezes mais na economia portuguesa do que a América do Sul.
    7- A maioria dos portugueses entende o CASTELHANO porque é um dialeto primitivo do português. Isto não significa que estejamos dispostos a falar esta versão desajeitada da língua portuguesa.
    8- Tretas. Não há séries espanholas na televisão portuguesa.
    9- Sim, e isso só acontece quando Espanha é outro país. No dia em que os impostos forem iguais, os portugueses deixam de o fazer.
    10- Já dei a volta a meio mundo e sou mais português do que nunca. Passo a fronteira e em Espanha não me sinto em casa, nem nunca me sentirei. É seco, desagradável, áspero na sua maior parte, e a pequena parte que é verde e vinhateira parece tão espanhola como a portuguesa...

  12. Sommer,
    Gostaria muito que assinasses com o teu nome verdadeiro e não com uma alcunha que usas para trollar nos fóruns. No entanto, fico contente por ter a tua opinião.

  13. Trolar? Que culpa tenho eu, que a sua excelência não sabe que Sommer é um sobrenome comum em Portugal? E que culpa tenho eu que seja o sobrenome que me tenha calhado a mim?
    A mim encantar-me-ia mais que a sua excelência não mentisse para propagandear a sua teoria da batata. Também gostaria muito que deixassem a minha nação em paz e sossego, porque não faltam episódios na nossa história que demonstram que com os castelhanos/espanhóis não queremos nada...
    PS: Se não gostas do que os portugueses pensam do ridículo da "Ibéria" promovida em "Espanha", então não publiques esses absurdos na internet. Não venhas para aqui tentar culpar-te, acusando os outros de serem Trolls por usarem o teu nickname...

    1. Naturalmente, Sommer é um português de longa data, tal como Schmidt.

  14. VIVA IBÉRIA

  15. Bem, eu adoraria que, no início, a Espanha desempenhasse o papel que a Alemanha Ocidental desempenhou na unificação... mas, uma vez terminado esse processo, penso que ambos ganharíamos muito... é óbvio que praticamente toda a gente entra no país vizinho e não se sente tão estrangeiro, ou pelo menos é essa a minha perceção... o resto virá por si só.

    1. Não tinha conhecimento deste caso. Curioso

Deixar um comentário

O seu endereço de correio eletrónico não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Português