Fartei-me dos fios brancos e dos fios pretos.

Em 1997 comprei o meu primeiro Apple, era um portátil e o seu nome ainda não começava com a letra iEra um número de quatro dígitos; a minha mãe tinha herdado esse computador portátil do meu tio e eu herdei-o da minha mãe, tinha um ecrã monocromático, era de boa qualidade e, quando nos enganávamos, ele fazia o cuack de um pato; em suma, um bom computador.

Logo depois de terminar a minha licenciatura comprei o meu primeiro iMac, o grande e verde não tinha drive de disquetes, era, e ainda é porque ainda o tenho, de boa qualidade, e era difícil encontrar periféricos porque só tinha USB, e nessa altura o USB era uma raridade na Apple.

Em 2002 comprei aquele que, até hoje, é o melhor computador que alguma vez passou pelas minhas mãos, um PowerPC 733 quicksilver, uma maravilha que tinha duas ventoinhas de avião, e tornei-me o evangelista da Apple para Espanha, não só por causa do computador mas também porque era uma altura de crescimento das comunidades de utilizadores Mac, com duas vertentes, os fóruns, como o Macworld, de que eu era frequentador assíduo, e que serviam para tirar dúvidas e aprender coisas novas; e também os criadores de software livre, muitos dos programas que já estavam disponíveis para Linux foram lançados para Mac.

Depois veio o iPod nano e o MacBook, e com este último veio a desilusão; a Apple mudou para processadores Intel, melhorou o desempenho e baixou a qualidade, mas não só o processador, mas também muitos outros componentes. No entanto, embora já estivesse desiludido com a Apple, comprei um iPod shuffle, com o qual estou satisfeito. Agora, acaba de sair o novo shuffle e fico horrorizado ao descobrir que vem com um chip de controlo nos auriculares, algo que não consta das características do aparelho; em suma, hoje olhei para os cabos brancos que trago na mochila e fiquei triste.


Comentários

Um comentário a "Fartei-me dos fios brancos e dos fios pretos.”

  1. [...] em termos de desempenho, limitados em termos de possibilidades e caros. Mas ligamo-los e eles funcionam. Tinha-me proposto mudar para Linux, custa-me admiti-lo, mas não o fiz. Quais são as três chaves do Sr. [...]

Deixar um comentário

O seu endereço de correio eletrónico não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Português