Portufilia, ou como unir Espanha e Portugal

Até à semana passada, quando postulado Em público, uma Espanha unida a Portugal, uma Ibéria, Hispânia, ou como lhe queiramos chamar, parecia uma possibilidade simpática para as pessoas; mas na sexta-feira o Comité Olímpico Internacional decidiu que os Jogos Olímpicos de 2016 terão lugar no Rio de Janeiro, e eu imaginei, para quatro anos mais tarde, em 2020 neste caso, uns Jogos na Ibéria que colocariam a América Latina sob o olhar do Mundo; E porque não imaginar também um Portugal unido a Espanha; claro que dizer isto em público é um pouco anedótico, é por isso que o escrevo aqui, para que ninguém descubra. Mas as torres mais altas caíram, o que aconteceria se...?

1. teríamos a mesma moeda. Ah, isso já é

2. teríamos um quadro fiscal homogéneo, o IVA português é de 20%, e o nosso será de 18% em 2010, pelo que estamos a aproximar-nos dele.

3. O espanhol será falado em Portugal, o que também está no bom caminho.

4. O AVE ligaria Madrid e Lisboa em três horas, por exemplo, em 2013

5. Algumas formalidades administrativas serão aceites com o espanhol em Portugal e vice-versa, tendo em conta que a Espanha tem experiência em co-oficialidade.

6. Seria criado um quadro semi-federal de devolução descentralizada de impostos, algo que também já conhecemos aqui.

7. Os eurodeputados portugueses e espanhóis fazem lobbying em uníssono

8. Seria do nosso interesse ir ao Parlamento Europeu com um único círculo eleitoral.

Talvez seja um sonho, talvez não esteja tão longe como pensamos, e tenho a certeza de que se pode pensar num ponto 9, 10, 11,....


Comentários

2 comentários para "Portufilia, ou como unir Espanha e Portugal”

  1. Avatar de lcluengo
    lcluengo

    Talvez se pensarmos do ponto de vista português:
    9. O português seria obrigatório nas zonas fronteiriças, o que não é o caso.
    10. Filipe II não reconheceu o óbvio: Lisboa era a capital natural de dois impérios atlânticos.
    11. Quantos escritores portugueses conheces? dois?
    etc

  2. 1- Portugal deve sair do euro. Ninguém deve decidir o nosso destino para além de nós próprios, muito menos a Espanha.
    3- O castelhano nunca mais será falado em Portugal. Depois de Sócrates, o número de alunos de Castelhano caiu para 1/3 (dos pouco mais de 9000 que existiam no seu auge), e já perdeu até para o Mandarim. As únicas línguas obrigatórias em Portugal são o inglês e o francês e isso não faz sentido.
    Só para terminar, a forma absurda como faz apologia á imposição do castelhano em Portugal é motivo mais do que suficiente para nem sequer levar em conta o que a sua excelência propõe.
    4- Felizmente Portugal decidiu não construir nenhum AVE. Não há necessidade de um e muito menos para ligar Lisboa a Madrid...
    5- Ninguém quer saber da vossa co-oficialidade. A co-oficialidade das línguas em Espanha é uma fonte de desconforto para qualquer português: é absurda, é desproporcionada, é centralista e é-nos estranha ...
    6- Portugal está muito satisfeito com o seu sistema fiscal centralizado. Em 1996, foi realizado um referendo sobre a formação de autonomias em Portugal. Foi derrotado com 61% contra 35%. Em suma, os portugueses não querem qualquer descentralização. Portugal é Portugal e é centralizado porque os portugueses assim o querem.
    7/8- Portugal precisa de sair rapidamente da União Europeia. É este o debate que está a decorrer em Portugal desde 2008, é este o futuro que os portugueses querem...

Deixar um comentário

O seu endereço de correio eletrónico não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Português