Eles ladram, por isso nós cavalgamos, amigo Sancho

Não há pior censura do que a que impomos a nós próprios, nem pior cunha do que a da mesma madeira.

Este blogue já atingiu o nível mais baixo que pode ser atingido, o de se tornar uma ferramenta de autoajuda do seu editor, utilizo-o para descarregar o sangue mau que me invade, por isso agradeço-vos por terem chegado até aqui e compreenderei se, para bem da vossa saúde mental, não continuarem a ler.

Passo para o modo positivo.

O empreendedorismo não é começar, mas fazer, ou seja, terminar. Um empresário é tanto alguém que cria uma empresa como alguém que revoluciona uma empresa a partir do seu interior. Concentrem-se no que querem alcançar, tentem mudar o mundo, não sejam tímidos, hoje mais do que nunca está nas vossas mãos. Questione a sua ideia cem vezes e deixe que cem pessoas que o amam questionem a sua ideia.

Quando tiveres a certeza disso, procura os meios para o fazer, não percas o foco e segue essa direção. O dia a dia vai fazer-te andar às voltas para contornar as dificuldades, mas lembra-te para onde vais, queres mudar o mundo, não há tempo a perder, ultrapassa os obstáculos e ouve, ouve muito mas não desanimes; não te deixes influenciar por aqueles que não gostam de ti. Lembre-se sempre que os seus latidos são sinónimo do seu bom caminho, sorria para eles e siga em frente.


Comentários

3 comentários para "Eles ladram, por isso nós cavalgamos, amigo Sancho”

  1. O empreendedorismo é um processo de montanha russa onde se passa por todas as fases possíveis. Sempre com o objetivo em mente, há dias em que vemos tudo maravilhoso e dias em que nos sentimos na mais profunda das misérias. Ao ler alguns livros sobre empresários, sinto-me encorajado por ver que mesmo aqueles que são agora multimilionários, no seu início tiveram os seus dias maus, os seus dias, a sua raiva e as suas frustrações. O empreendedorismo é "ser pesado", perseverar apesar de tudo, e também algo que nos enche de entusiasmo e nos dá razões para lutar.

  2. Concordo que o empreendedorismo não é apenas começar, mas é o salto necessário e o "declic". Depois, é preciso ser empresário, nos momentos bons e nos momentos difíceis, e em cada um desses momentos gostam de nós bem ou mal...
    A concentração não deve ser perdida, mas por vezes perguntamo-nos se a mantemos ou se somos como a mosca que bate cem vezes no vidro. É isso que é seguir em frente, ultrapassar os obstáculos, como diz, e não chocar contra eles.

  3. A frase que encabeça este post não é assim. A parte do Sancho é supérflua. A origem desta frase é explicada aqui: http://cosicosas.blogspot.com/2009/09/ladran-luego-cabalgamos.html

Deixar um comentário

O seu endereço de correio eletrónico não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Português