Porque é que eu não pensei nisso?

Esta era uma conclusão óbvia,

crescimento económico baseado na dívida e na especulação,

as crescentes desigualdades entre ricos e pobres,

consumismo injetado nas nossas veias desde a infância,

a falta de valores para além da acumulação de coisas de que não temos tempo para desfrutar,

atirando merda para o mar, para o ar e para a terra, pensando que eles são muito grandes e que nos vão devolver a merda.

Tudo isso tinha que nos levar a esta situação, a não sabermos quem somos e muito menos o que queremos. Claro que depois olhamos para trás e vemo-nos endividados e insatisfeitos, mas é tarde demais, agora é altura de deixar de consumir como se o proibissem e começar a trabalhar para pagar as nossas dívidas, ou pensávamos que o banco dava dinheiro de graça? Qualquer pessoa poderia ter adivinhado há dez anos esta situação, mas ninguém o fez, é aquilo a que em economia se chama um CISNE NEGROSe estamos habituados a ver cisnes brancos, não nos passa pela cabeça encontrar um preto.


Comentários

Deixar um comentário

O seu endereço de correio eletrónico não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Português