Sistemas emergentes II: Neutralidade

O exemplo mais visual de um sistema emergente são os formigueiros, as formigas organizam-se porque não têm outra escolha e são gregárias, não têm hierarquias; e o mesmo acontece na Internet porque qualquer pessoa pode publicar um Wikileaks e derrubar um governo.

Enquanto houver neutralidade, a Internet será construída de baixo para cima, como tem sido desde o seu início, porque os gigantes da Internet de hoje têm pouco a ver com os gigantes da Internet de antigamente. O Google, o Twitter e o Facebook foram construídos de baixo para cima. Quando a neutralidade for quebrada, o sistema entrará em colapso e será algo diferente do que conhecemos atualmente. Deixará de ser um ecossistema anarquicamente transparente, como é atualmente, e tornar-se-á provavelmente uma oligarquia.

Vai quebrar porque as regras que regem um sistema emergente devem ser poucas e claras; e as regras vão multiplicar-se, causando o colapso deste microcosmos chamado Internet.

Compreendo que esta é uma visão pessimista, mas quantas Wikileaks é que os poderosos estão dispostos a suportar? O Wikileaks é um produto, extremo sim, da neutralidade da rede, tal como o P2P. E essa neutralidade está a ser positiva para os bens comuns.

Contra estas teses estão a história - não conseguiram eliminar o P2P - e a filosofia de que não se pode tirar algo que as pessoas querem, porque depois as pessoas vão tirar por bem ou por mal.


Comentários

Deixar um comentário

O seu endereço de correio eletrónico não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Português