Análise do Dropad, um tablet android de 140 euros

Estive com o Dropadum tablet semelhante ao Samsung Galaxy tab 7′, embora mais limitado do que este.
Comprei-o para ser utilizado por crianças pequenas, pois pagar a taxa de 500 euros pareceu-me um desperdício de dinheiro, especialmente quando se corre o risco de a criança o partir no segundo dia de utilização.
Vou começar com o teste que os meus filhos fizeram com ele. O sucesso é inegável, tem tudo o que é preciso: wi-fi, câmara - fraca, mas câmara - e um bom ecrã. O ecrã de 7 polegadas responde perfeitamente ao toque e a resolução é decente. Penso que 7 polegadas é um tamanho ótimo para as crianças, embora para os adultos receie que a norma acabe por ser 9 ou 10 polegadas, mesmo que não seja o melhor tamanho. Não me parece para substituir os computadores portáteis.

As crianças de hoje relacionam-se com os ecrãs tácteis com uma naturalidade surpreendente, de facto é impressionante a facilidade com que tornam tudo mais fácil. O número de aplicações educativas na loja do Android torna-o recomendável para as crianças, e cada vez mais, todos os dias. Não se esqueça que, ao contrário da loja da Apple, a maioria das aplicações Android são gratuitas e as crianças pedem novas aplicações todos os dias, o que é um alívio para as suas carteiras.

Está bem preparado para a realização de videoconferências, com a sua câmara frontal, um bom microfone e um altifalante potente colocado na parte de trás; a localização do altifalante faz com que o volume seja muito baixo quando o temos apoiado numa superfície plana; no entanto, tem uma qualidade de som mais do que aceitável. Agora só precisa de sair Skype com vídeo para Android.

É mais pesado do que o Samsung Galaxy tab, tem um processador semelhante, mais portas e a mesma capacidade de expansão com cartões de memória. Embora a resolução do ecrã não seja tão boa como a do Samsung, é mais do que suficiente para uma boa leitura e visualização de vídeos ou fotografias.

Depois de ter passado no teste das crianças com distinção, o pai passou a testá-la também.
O veredito não é a melhor marca no sector infantil, mas é uma boa marca. Não tem conetividade 3G, o que é mais um alívio para a sua carteira, pois evita outro custo fixo, mas limita a conetividade. Ao contrário dos tablets mais caros, este aceita uma pen USB 3G para se ligar a redes móveis, mas ainda não consegui pô-la a funcionar.

Embora ainda haja muito software a ser adaptado para tablets na loja Android, sinto falta de alguns dos que tenho no meu Samsung Galaxy S, como EvernoteNão creio que seja preciso muito tempo para os adaptar.

Compreendo que não é justo comparar um tablet de 140 euros - subiu 10 euros nos últimos dias - com outros tablets que custam 500 euros, mas vamos a isso. A construção do tablet é excelente: duro e robusto, muito melhor do que os caros que vêm em plástico, o Dropad é todo em alumínio; mesmo que penalize em termos de peso, penso que vale a pena. Em termos de conetividade, é muito bom, a bateria é curta, como em todos os tablets, mas também se descarrega num curto espaço de tempo se for deixada em stand-by com wifi por perto.
É um galaxy tab de 7 polegadas que se quer parecer com o ipad mas tem características chinesas distintas, nomeadamente tem um interrutor extra para desligar, as três teclas: enter, menu e off não estão bem colocadas de um lado e alguns materiais parecem sobredimensionados.

Acreditem ou não, se olharem para o DealextremeHá outros mais baratos, mesmo em 10′, mas escolhi este porque tem um ecrã. capacitivoRecomendo-vos que façam o mesmo. Além disso, tinha lido sobre a boa qualidade de construção do Dropad, algo que corroboro, o design também deve ser tido em conta, uma vez que, apesar do excesso de peso, é atrativo.

Penso que é uma excelente compra devido à qualidade dos materiais, porque custa menos de um terço dos outros, porque todos os tablets estarão obsoletos dentro de um ano e porque este tem android 2.2 - Froyo - tal como os de 500 euros. Agora que não podemos dizer que ser o mesmo que o Samsung Galay Tab.

Dados de lançamento. Se o vai comprar, aviso-o de que vem com uma ficha de pinos - pelo menos a minha - e terá de colocar um adaptador ou comprar um adaptador. este na dealextreme. Quase podemos esquecer a garantia.



Comentários

4 comentários para "Análise do Dropad, um tablet android de 140 euros”

  1. É importante referir que acabei de comprar outro.

  2. Fizeste bem porque não precisas de gastar 500 euros pelo que tens. Eu tenho andado absorvido por esta coisa dos tablets desde que comprei o ipad da minha mãe com o meu irmão e acho que é o futuro. Fizeram muito bem em não lhes dar o ipad porque não ter sd mata-me para pôr vídeos e outras coisas mas é que uma pessoa mais velha não pode descascar com as particularidades do android e não acabar por deitá-lo fora com carregador e tudo. O que é que eu acho? Aproveitem-no ao máximo e tentem não o sobrecarregar com software inútil. Dica: mpmusic download: excelente para descarregar qualquer música gratuitamente.

Deixar um comentário

O seu endereço de correio eletrónico não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Português