O que é que uma rede social precisa de ter para funcionar?

Se quiser construir uma rede social e olhar para as que já foram bem sucedidas, como o Facebook, estará atrasado na corrida evolutiva da Web 2.0; tenha em conta que as redes sociais bem sucedidas em 2006 foram melhores do que as de 2005 e piores do que as que surgiram em 2007, por isso nesta altura é melhor esquecer o Linkedin, o Youtube e o Orkut para procurar uma perspetiva mais ampla, esse ponto de vista mais afastado das notícias do Techcrunch pode ser dado pela ideia do complexidadee, nomeadamente, os sistemas emergentes.
Sistemas emergentes é um livro de 2001 escrito por Steven JohnsonA obra baseia-se em sessenta anos de investigação em domínios como a biologia, a matemática, a informática e o planeamento urbano. Com base na diferença de comportamento entre um único elemento e um grande sistema constituído por muitos desses elementos, chega à conclusão de que "mais é diferente", o lema da teoria da complexidade. Examinei tudo isto para ver que as conclusões retiradas do comportamento das formigas podem ajudar-nos a compreender o funcionamento de uma rede social na Internet, bem como de muitos outros sistemas complexos.
A ignorância é útil. Os sistemas emergentes podem tornar-se impossíveis de gerir quando os seus elementos são demasiado complexos.
Incentivar os encontros casuais. Os encontros entre elementos do sistema são individualmente arbitrários, mas em conjunto permitem medir e alterar o estado macro de todo o sistema.
Procurar padrões nos sinais. O reconhecimento dos sinais de vários elementos do sistema fornece informações sobre o estado geral.
Prestar atenção aos seus vizinhos. A informação local conduz à sabedoria global.

Entrada publicada em dezembro de 2008 em madri+d


Comentários

Deixar um comentário

O seu endereço de correio eletrónico não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Português