Quem puder ser substituído por um robot, será substituído por um robot.

Isto deu-me muito que pensar notícias Foxconn, uma empresa chinesa que emprega 1,2 milhões de pessoas e fabrica para a Apple, Nintendo, Apple e outras marcas. A Foxconn tenciona substituir um milhão dos seus trabalhadores por máquinas, nem mais nem menos, e não serão certamente os trabalhadores mais qualificados e criativos, mas sim o contrário.

Os custos de construção dos robôs com que lida são realmente baixos, também é verdade que os custos da mão de obra chinesa são igualmente baixos, mas isto está a mudar; o que significa que a Foxconn é acelerador o processo de mecanização e aumentará de 10.000 para 300.000 robots este ano.

Acabou-se a segurança do emprego, acabou-se o cumprimento das normas, acabaram-se os despedimentos dispendiosos, acabou-se mesmo a era do emprego público. Se pudermos ser substituídos por uma máquina, mais cedo ou mais tarde sê-lo-emos. Nos anos sessenta, os japoneses apostaram no automóvel e correu bem; nos anos noventa, começaram a apostar na robótica como o sector do futuro e, como pai, eu fiz o mesmo.

Podemos ver esta tendência como uma coisa má ou boa, mas independentemente da nossa opinião, é inevitável. É lógico, significa uma melhoria da produtividade, os robots são mais baratos, trabalham melhor do que nós, são mais rápidos, não descansam, não adoecem (bem, adoecem um pouco), etc... Pense nos seguranças, nos taxistas, nos bilheteiros, nos montadores em série, nos motoristas ou nos armazenistas, e perceberá que são profissionais susceptíveis de serem substituídos por robots.

Os robôs não são criativos, não desenham nem podem desenhar, não são feitos para tomar decisões, nem se reparam ou redesenham a si próprios. Eis as competências que se tornarão cada vez mais úteis todos os dias. A conceção é, para mim, a faceta fundamental de tudo isto.

Os analfabetos do século XXI não serão aqueles que não sabem ler e escrever, mas aqueles que não conseguem aprender, desaprender e reaprender.

Alvin Toffler

A Google já tem um carro a circular legalmente no estado de Nevadavê este vídeo, caso ainda não o tenhas visto. Não me digas que estavas a pensar trabalhar como taxista, porque depois de veres isto não me parece uma boa ideia.

Steven Hawkings juntou-se a uma fundação para nos defender de robôs autónomos. Algo de que não tenho a certeza Stephen Hawking junta-se a uma fundação para defender a humanidade contra os robôs autónomos


Comentários

7 comentários para "Quem puder ser substituído por um robot, será substituído por um robot.”

  1. Avatar do Sussurro
    Sussurro

    De acordo com a Lei de Moore, que não só é verdadeira há mais de 30 anos como está a melhorar ainda mais, o poder de processamento dos "robots" será capaz de substituir qualquer ser humano dentro de 20 anos.

    Para além disso, fabricarão versões melhoradas de si próprios, tornando o crescimento exponencial das suas capacidades ainda maior.

    Uma vez ultrapassada a ténue barreira da consciência de si, o ser humano não terá qualquer hipótese na "competição", terá perdido a corrida da evolução.

    Mas a vida é assim mesmo.

    1. Tenho dúvidas quanto à auto-consciência, não sei se irão tão longe, mas fazem tarefas repetitivas mil vezes melhor do que nós e, por isso, dão-nos uma melhor qualidade de vida.

  2. Avatar do Sussurro
    Sussurro

    Permitam-me que recomende duas publicações:

    Shannon, Claude Elwood (1948). "Uma teoria matemática da comunicação". Bell System Technical Journal 27 (379-423 e 623-656).

    Shannon, Claude Elwood (1949). "Teoria da comunicação dos sistemas de sigilo". Bell System Technical Journal 28 (656-715).

    E o artigo seguinte: http://dl.acm.org/citation.cfm?id=1654124

    Espero que ajudem a esclarecer as vossas dúvidas sobre o autoconhecimento.

    Num mundo em que a evolução "natural" é propriedade das máquinas, qual é o sentido da procriação humana? Faz sentido prolongar a existência de uma raça em declínio?

  3. Será que as políticas de criação de emprego fazem sentido, não seria melhor começar a trabalhar no conceito de "libertação do trabalho"?

    1. Pode descrevê-lo para mim?

  4. É assim que funciona um centro logístico da Amazon https://t.co/24EDSZmqdA este vídeo fez as delícias dos anões

  5. 10 milhões de empregos pouco qualificados no Reino Unido serão substituídos por robots http://mashable.com/2014/11/10/robots-taking-uk-jobs/

Deixar um comentário

O seu endereço de correio eletrónico não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Português