Finalmente um modelo de negócio para o Facebook: escrever a Zuckerberg para o 100$

Em 2001, muitos investidores juraram e juraram que nunca mais seriam apanhados numa bolha da Internet como a de 2000 e, doze anos depois, um jovem de 27 anos está de novo a fazê-lo. Zuckerberg abriu o capital do Facebook no verão passado com uma avaliação de $100mM e sem receitas claras.

Ao contrário do que acontecia em 2000, o Facebook gera efetivamente receitas, neste caso provenientes da publicidade, mas essas receitas não justificam uma avaliação tão elevada como aquela a que foi lançado no mercado, porque, sejamos claros, o Google vive da publicidade, ponto final. Essa avaliação baseava-se em expectativas, principalmente ligadas ao desenvolvimento do sCommerce, ou seja, do comércio eletrónico social, que já se revelou um fiasco.

Ou melhor, com rendimentos tão claros que estavam inflacionados.

Pouco tempo depois, quando o preço das acções cai para metade, ele diz que estavam a iterar. Para quem não conhece o termo, iterar modelos de negócio é quando as startups testam novos produtos no mercado sem saber como vão ganhar dinheiro. Mas as empresas que se tornam públicas não iteram, O Facebook deve ter vindo iterado de casa.

Agora vêm-nos com mensagens de 1$, e 100$ se for a cabeça do esquema em pirâmide; sim, este tipo de modelo de negócio é o que sempre se chamou pirâmide (scam). Se não fosse o facto de ser Mashable quem o publicasse pensaria que era uma partida.

Ter em atenção que este verão: A Zynga já tinha passado de 11 para 3 dólares; a Netflix tinha passado de 11 para 3 dólares., de 300 a 57; Groupon, de $20 para $6,6... Quedas em menos de um ano. Facebook, de $42 para $26, em apenas dois meses de negociação. Agora estão ainda piores.

Brilhantes empresas dotcom e Web 2.0 de segunda geração cotadas no índice Nasdaq, perderam uma grande parte do seu valor bolsista em menos de um ano. E ainda há pessoas em Espanha que tentam copiar o modelo, quando por vezes, como diz Agustín Cuenca, ser o segundo é uma vantagem.

Entretanto, a Google, a Amazon e a Apple estão na corrida.


Comentários

Um comentário a "Finalmente um modelo de negócio para o Facebook: escrever a Zuckerberg para o 100$”

  1. De facto, é essencial ter um modelo de negócio bem definido, com conceitos claros de monetização e rentabilidade dos produtos ou serviços oferecidos.
    Parece que vale tudo na Internet e que qualquer empresa pode ter sucesso, mas é importante verificar se a valorização é real (em relação ao rendimento obtido).
    Um caso semelhante pode ser o chamado modelo de negócio "Freemium", como se pode ver em: http://marketingstorming.com/2013/04/04/gratis-y-rentable/

Deixar um comentário

O seu endereço de correio eletrónico não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Português