Hacking education VIII: manter a ilusão viva

Aos seis anos, uma criança entra no nosso sistema educativo a querer ser astronauta e sai aos vinte e dois anos a querer ser funcionário público.
Porque é que laminamos a sua ilusão?
Porque é que os estamos a transformar gradualmente em pequenos homens cinzentos?
Porque é que tentamos transformá-los em algo que não tem lugar no século XXI, como as máquinas de repetição?
Projectamos os nossos medos neles e tudo o que conseguimos é uma montanha de miúdos de quinze anos.
Os adultos criativos não são mais do que crianças que sobreviveram à falência do nosso sistema educativo.


Comentários

Deixar um comentário

O seu endereço de correio eletrónico não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Português