Inteligência artificial generativa: uma análise aprofundada do seu impacto no futuro do trabalho

No ambiente empresarial atual, o Inteligência Artificial Generativa (IA generativa) está a emergir como uma força disruptiva que está a redefinir as formas tradicionais de fazer negócios. Com um crescimento não só grande, mas também explosivo, a IA generativa está a revelar-se uma ferramenta de produtividade homem-máquina de uma eficácia sem precedentes. Neste contexto, é imperativo que as organizações compreendam e se adaptem a esta revolução generativa.

A explosão da IA generativa: uma mudança de paradigma

De acordo com o recente inquérito da McKinsey, a IA generativa registou um crescimento exponencial, com um terço dos inquiridos a afirmar que as suas organizações estão a utilizar regularmente a IA generativa em pelo menos uma função empresarial. Este crescimento explosivo é indicativo da transformação radical que a IA generativa está a trazer para o panorama empresarial.

IA generativa no trabalho: uma nova era de produtividade

A adoção da IA generativa no local de trabalho tem sido rápida e generalizada. Embora as tecnologias de IA generativa tenham sido disponibilizadas ao público há menos de dois anos, um terço dos executivos já as utiliza no seu trabalho diário. Este facto teve repercussões significativas, levando mesmo a greves em sectores como o dos argumentistas de Hollywood.

O impacto nas empresas: uma análise das implicações

O impacto da IA generativa nas empresas é ainda mais impressionante do que a sua adoção. De acordo com o estudo da McKinsey, espera-se que a IA generativa provoque mudanças significativas na forças de trabalhoA estratégia da empresa tem consistido em reduzir os efectivos em certos domínios e em envidar esforços importantes de reconversão profissional para responder à evolução das necessidades em termos de talentos.

Heavy users de IA generativa: líderes na adoção da IA

Os heavy users de IA generativa, aqueles que retiram mais valor das capacidades de IA mais tradicionais, estão a ultrapassar os outros na sua adoção de ferramentas de IA generativa. De acordo com o estudo, entre estes grandes utilizadores, 20% do EBIT está associado à IA generativa. Estas organizações estão a utilizar a IA generativa para aumentar a proposta de valor, melhorar as receitas, criar novos fluxos de receitas e reduzir os custos.

É importante estar ciente da diferença entre países líderes em inteligência artificial a começar pelos EUA, seguidos da China, da UE, dos EUA e da Rússia, porque esta será uma questão de grande importância geoestratégica nos próximos anos.

Os riscos da IA generativa: uma análise das preocupações

Apesar dos benefícios óbvios da IA generativa, existem riscos associados que as organizações devem ter em conta. Menos de metade dos inquiridos no estudo da McKinsey afirmam que as suas organizações estão a mitigar o risco que consideram mais relevante: a imprecisão. Além disso, muitas empresas estão proibidas de utilizar a IA generativa devido a preocupações com a cibersegurança, o que pode atrasar a adoção.

Conclusão: A IA generativa e o futuro do trabalho

A IA generativa veio para ficar e o seu impacto no mundo do trabalho é inegável. Mas, como acontece com qualquer tecnologia emergente, é importante que as empresas se preparem para as mudanças que estão para vir e tomem medidas para mitigar os riscos associados.

Resumo do estudo McKinsey: "The State of AI in 2023: The year generative AI takes off".

O último inquérito anual da McKinsey sobre o estado atual da IA confirma o crescimento explosivo das ferramentas de IA de geração. Menos de um ano após a estreia de muitas destas ferramentas, um terço dos inquiridos afirma que as suas organizações estão a utilizar regularmente a IA de geração em pelo menos uma função empresarial.

Principais conclusões do estudo:

  • Adoção precoce e generalizada do gene da IA: Apesar da recente disponibilização pública do gene da IA, a experimentação com estas ferramentas já é relativamente comum. 79% de todos os inquiridos afirmam ter tido, pelo menos, alguma exposição ao gene da IA, quer no trabalho, quer fora dele.
  • As empresas líderes já estão avançadas com o gene da IA: As organizações que obtiveram um valor significativo da IA já estão a utilizar ferramentas de IA gen em mais funções empresariais do que outras organizações.
  • Mudanças significativas na força de trabalho: Os inquiridos prevêem que a adoção da IA irá remodelar muitas funções na força de trabalho. De um modo geral, esperam que haja mais trabalhadores a serem reconvertidos do que a serem despedidos.
  • Riscos potenciais do gene da IA: De acordo com o inquérito, poucas empresas parecem estar totalmente preparadas para a utilização generalizada de géneros de IA ou para os riscos comerciais que estas ferramentas podem acarretar.

Este estudo fornece informações valiosas sobre a forma como a IA generativa está a mudar rapidamente o panorama da IA e como as organizações estão a responder a estas mudanças.

Ler o estudo completo


Comentários

Deixar um comentário

O seu endereço de correio eletrónico não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Português